quarta-feira, 21 de setembro de 2016

ADEUS "MOSQUITO"





Venho aqui fazer uma homenagem a Edson de Souza Melo, que faleceu há 30 dias por problemas de saúde e que todos conheciam como “mosquito” do “fogo eterno” na Praia do Meio em Natal.


“Mosquito”, o que te deixo é a mensagem que criei para você: A saudade é o único sentimento verdadeiro que mostra que gostávamos de alguém que partiu.





sexta-feira, 12 de agosto de 2016

DUPLA É PRESA NO PASSO DA PÁTRIA COM ARMA E COLETE




EDUARDO SEM CAMISA E JONAS DE CAMISA AMARELA








Uma equipe de policiais civis da 3ª Delegacia de Polícia prendeu, nesta sexta-feira (05) no Paço da Pátria, Eduardo de Lima Santos, e o foragido da justiça Jonas da Silva Gomes, 22 anos, por porte ilegal de arma de fogo, sendo encontrado com eles no momento da apreensão uma arma de calibre 12 de fabricação caseira, e um colete de bala artesanal, o qual estava inserido um símbolo da Guarda Municipal de Natal. Segundo Eduardo, que não tinha passagem na polícia, a arma e o colete seriam dele, tendo sido a arma comprada pelo mesmo na Praia do Meio, a fim de “proteger deinimigos”.
O foragido da justiça, Jonas da Silva, confessou ser integrante de uma associação criminosa e de ter cometido um homicídio contra um servidor da justiça estadual, quando era adolescente, e têm contra ele dois mandados de prisão em aberto, sendo um expedido em Parnamirim, e o outro na 4ª Vara Criminal de Natal. Segundo o delegado da 3ª DP, Fábio Montana, a dupla já era suspeitade cometer crimes na área e vinha sendo investigada pela polícia civil, que intensificou as diligências após a onda de ataques no estado no sentido de mapear os homens e demais suspeitos queagiam na localidade.
“Através de diligências intensificadas na área, culminamos com a prisão desses dois homens da mais alta periculosidade, sendo um deles um bandido que já cumpriu pena em Alcaçuz e em presídio estatual, e tem contra ele dois mandados de prisão em aberto. Através da posse de uma escopeta semi-automática municiada e de um colete balístico, os homens não tinham outra finalidade a não ser o cometimento de crimes”, afirma o delegado da 3ª DP, Fábio Montana.
Os homens foram autuados em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, sendo Jonas da Silva encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Natal, onde ficará a disposição da justiça.

POLICIAIS DA 2º DE NATAL PRENDE ACUSADO DE HOMICÍDIO EM ARÊZ





Policiais civis da 2ª Delegacia de Polícia prenderam, nesta quarta-feira (10), Genilson Francisco de Souza, conhecido como “Batata”, 32 anos, suspeito por ter cometido um homicídio na cidade de Arêz no dia 25 de novembro de 2006. A prisão foi realizada em cumprimento de mandado de prisão, sendo ele um “flanelinha” que, segundo informações preliminares, estaria praticando furtos na Ladeira do Sol, Zona Leste da capital. 




quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Motoboy cria serviço exclusivo para caçadores de pokemons






O Jornal Extra destaca, nesta quinta-feira, que o jogo Pokémon Go, recém-chegado no Brasil, já caiu nas graças do espírito empreendedor do brasileiro. Desempregado há um mês, o motoboy cearense Denis Paz, de 32 anos, decidiu criar um serviço de caçador de pokémons com sua “pokémoto”.


Segundo o empreendedor, o serviço de pokémoto funcionará da seguinte maneira: o jogador liga para ele e agenda um horário. Depois, ele pega a pessoa no local combinado e leva até um local seguro para caçar os monstrinhos.


“Fixei o preço de R$ 25 a hora. Vou buscar a pessoa e levar em um local seguro como shopping ou praias, um local que tenha policiamento. Acho que na Avenida Beira Mar vai ser um bom lugar porque é turístico. Recebi muitas ligações e ainda nem consegui pegar o primeiro cliente de tanta gente que estou respondendo”, disse ele ao jornal.


Casado e pai de dois filhos, Denis espera pagar as contas do mês com o serviço. O motoboy diz que estará disponível apenas para adolescentes e adultos e que vai priorizar locais seguros para que ninguém tenha o celular roubado enquanto pega os pokémons.

Fonte: portal no ar


Proposta que tira carroceiros das ruas de Natal entra em debate na Câmara



Uma audiência pública realizada na Câmara Municipal de Natal nesta manhã (4), debateu o Projeto de Lei que institui a política municipal de retirada de veículos de tração animal das ruas da capital. A proposição foi do vereador Fernando Lucena (PT) e reuniu carroceiros e familiares, representantes das secretarias de Assistência Social do estado e do município e vereadores.

De autoria do Executivo Municipal, o projeto prevê a retirada dos veículos de tração animal das ruas, facilitando a mobilidade do trânsito e preservando os animais utilizados para o serviço, mas enfrenta a resistência dos carroceiros que cobram uma alternativa, já que desse trabalho depende o sustento de suas famílias.

“O projeto ainda prevê multa de R$ 1 mil para quem descumprir. É um ataque aos pobres. Sabemos que a maioria dos carroceiros não tem qualificação para ingressar no mercado de trabalho. Retirar o sustento deles, sem apontar uma solução que realmente vai dar certo é que não pode. Se não regulamentar esse serviço, não vai resolver o problema por isso temos a proposta de concessão do serviço, como ocorre com os táxis”, critica Fernando Lucena.

“A gente vai lutar sim, enquanto tiver força e garra pelo nosso direito. Já tentei tirar minha carroça das ruas e o governo não teve condições de me dá um emprego. Como é que vai me dá emprego para mais de dois mil carroceiros???”, questionou a secretária da Associação de carroceiros, Dulcicleide Felipe. A diretora do Departamento de Desenvolvimento e Qualificação Profissional (DDQP/Semtas), Margarete Pereira, explicou que foi realizado um mapeamento que identificou 290 carroceiros e que a maioria não tem a intenção de largar a atividade.

“Contudo, nossos centros de assistência e de capacitação, emprego e renda, estão abertos não só para os carroceiros, mas para os membros de suas famílias. Trabalhamos com a família. Queremos que participem de um grupo de trabalho para negociar a proposta mais adequada que atenda a ambos os lados”, disse.

A Secretária de Assistência Social do Estado (Sethas) Juliane Faria, propôs que os carroceiros se organizassem em cooperativas para que pudessem ter acesso a linhas de créditos da Agência de Fomento do estado (AGN).
“Temos que pensar na preservação dos animais usados, mas também ter uma contrapartida para o trabalhador que precisa desse ofício. Como alternativa para o desenvolvimento social dessas pessoas, temos uma lei voltada para catadores organizados em cooperativas para trabalharem em coleta seletiva. A AGN pode abrir linha de crédito para essas cooperativas, então precisa que se organizem para poder ter direito a esse benefício”, disse a secretária.

Fonte: Portal no ar